A verdadeira história do menino que descobriu o vento

  

Misture um roteiro repleto de emoção, recheado de determinação e uma boa dose de superação para nenhum chorão botar defeito. Tudo isso inspirado em uma recente história real ocorrida em meados de 2001 no paupérrimo Malaui.

Estamos falando do novo filme da Netfix, "O Menino que Descobriu o Vento", que conquistou o público graças à enorme sensibilidade da trama. O filme fica ainda mais emocionante quando lembramos que a história realmente aconteceu.

A história começou a chamar a atenção do grande público em 2009, quando William Kamkwamba, jovem que inspirou a criação do protagonista do filme, deu uma palestra no TED (assista abaixo) na qual ele conta sua história: “Eu falarei rapidamente sobre uma das minhas invenções que tenho mais orgulho” e, a partir de então, descreve a “máquina simples” que mudou a sua vida para sempre.

William nasceu em uma família de camponeses na vila de Kasungu, no Malaui. Apesar de sempre ter vivido na pobreza, a situação se complicou em 2001, quando uma seca assolou a região e causou grandes transtornos para toda a comunidade. Muitos morreram de fome e William e sua família passaram a se alimentar apenas uma vez ao dia.

 

A filme original da Netflix, dirigido pelo ator britânico Chiwetel Ejiofor (12 Anos de Escravidão"), apresenta a história do garoto que desafia a falta de recursos e modifica a vida de sua família e de um vilarejo no Malaui, no continente africano.

Na produção, William, hoje com 31 anos, é interpretado por Maxwell Simba, enquanto o papel do pai fica a cargo do próprio Ejiofor, que estreia como diretor. O personagem real usou sucata e alguns livros de ciências para desenvolver uma turbina eólica que fornecia energia para manter os aparelhos de sua casa. Mais tarde, ele construiu uma bomba de água movida a energia solar que possibilitou o abastecimento de água potável para toda a vila.

William

Conheça

William Kamkwamba e sua invenção que ganhou as telas.

A história é baseada em sua autobiografia, lançada em 2014. No livro, conta que sempre gostou de inventar coisas a partir do que era considerado lixo. Ele foi obrigado a deixar a escola depois de uma grave crise da família. Foi nessa época que ele se apegou à biblioteca de sua vila e, com o que aprendia em livros de física, passou a consertar eletrônicos da vizinhança. “Eu estava determinado a fazer qualquer coisa para poder aprender. Então eu fui para a biblioteca e li livros de ciências, em particular de física”, conta na palestra. Um desses livros, explicava como um moinho de vento poderia bombear água e até mesmo gerar eletricidade. Esse livro mudou para sempre o destino de William. “Bombear água significava irrigação. Uma defesa contra a fome, pela qual nós estávamos passando naquela época”. Foi aí que ele decidiu construir um moinho sozinho.

A história foi parar nos jornais locais em 2006 e, no ano seguinte, o adolescente se apresentou em uma conferência TED na Tanzânia. Empresários financiaram o ensino médio do rapaz e, depois de ingressar em uma universidade ainda na África, conseguiu outra bolsa nos Estados Unidos, onde se formou em Estudos Ambientais, na prestigiada Universidade de Dartmouth, em 2014.

 

 

http://www.curtamais.com.br/goiania/conheca-a-historia-real-que-inspirou-o-filme-o-menino-que-descobriu-o-vento