A Fé e a Ciência Sem Fronteiras e Barreiras

Antônio Marcos

Professor e Escritor

 

A fé e a ciência sem fronteiras e barreiras

 

Iulia Partac é natural da Romênia, no leste europeu. Quando o comunismo soviético acabou em seu país ela tinha apenas seis anos, mas seus pais e avós tiveram a experiência de viver sobre esse regime por muitos anos.  Conheci a Iulia em 2005,  em um site especializado em conversação em inglês. Ficamos amigos, pois tínhamos interesses em comum: a fé e a ciência. Conversamos muito sobre a nova ordem mundial, projetos profissionais, economia, família e Deus. Iulia, na época estava fazendo mestrado na França. Ela é bioquímica,  com várias especializações, tem um currículo invejável, é poliglota, fala francês, inglês, sua língua vernácula, o romeno, um pouco de português e italiano. Apesar de ser uma mulher com muitos conhecimentos é muito humilde e valoriza acima de tudo a sua famíla, seu esposo Octav, professor de História e os três filhos, Radu, Tudor e Anastasia. Todas as suas conquistas profissionais só aconteceram depois que o regime comunista soviético acabou, o que lhe proporcionou estudar em outro país e viajar por toda a Europa livremente. A entrevista que segue foi feita em inglês e traduzida para o português. Não havia a possibilidade de ser na língua romena pois, apesar de ter origem latina, é muito complicada e mesmo usando tradutores virtuais corria o risco de traduzir incorretamente os sentidos das palavras. Veja a seguir a entrevista.

1. F&C. Iulia, seus avós e seus pais viveram na Romênia no momento em que pertencia à União Soviética?

Quando acabou o regime comunista na Romênia tinha seis anos, felizmente não vivi muito nesse período, mas   minha família viveu sobre o regime comunista.

2. F&C. Como era a vida no seu país durante o regime comunista?

Das histórias que me contaram entendi que encontraram dias pesados. No período comunista instalou-se a coletivização e o confisco de quase todas as propriedades agrícolas privadas do país e na consolidação de fazendas agrícolas administradas pelo Estado. Muitos camponeses, pobres e ricos, se opuseram, mas o governo comunista às vezes recorreu a violência, assassinatos, deportações, demissão do trabalho para os camponeses e confisco em todos os bens das pessoas envolvidas. Nas histórias de meus avós e meus pais, entendi que os professores foram enviados por líderes comunistas para fazer o recenseamento ou para verificar se os dados obtidos durante o recenseamento eram verdadeiros. Às vezes, eles foram forçados a ir às famílias sem anunciar sua visita. Meus pais eram professores, eles me disseram que não podiam ir à igreja. Durante as férias cristãs, os estudantes foram obrigados a participar das atividades escolares e a não ir à igreja. Por exemplo, na época da Páscoa, os professores estiveram envolvidos na plantação de batatas em terras agrícolas do estado. Depois de 1947, após a instalação do regime comunista, o ateísmo tornou-se política estadual. Os sacerdotes e bispos viveram momentos difíceis com violência e agressão, porque foram contra o partido comunista. Alguns deles experimentaram anos de prisões e torturas. Os acessos a alimentos nos mercados foram limitados, nem todos os alimentos podiam ser adquiridos. Muitas vezes as pessoas foram obrigadas a permanecer em uma longa fila para comprar um alimento específico. A TV e a geladeira eram um luxo para os romenos.  Os comunistas estabeleceram 2 horas por dia para assistir TV, que continham programas para lavar as mentes romenas.

3. F&C. Qual é a forma atual de governo na Romênia?

Após a queda do comunismo, em 1989, a Romênia instalou o regime democrático. A forma de governo é a República. O Estado é organizado de acordo com o princípio da separação e equilíbrio de poderes - legislativo, executivo e judiciário - dentro de uma democracia constitucional. O presidente é eleito por voto universal, igual, direto, secreto e com  livre arbítrio. O presidente nomeia o primeiro-ministro, que, por sua vez, nomeia o governo.

4.  F&C Qual a sua opinião sobre o comunismo?

Na Romênia, o período comunista caiu há 28 anos e esse regime tem sido  de escassez, não apenas no nível material, mas também no nível humano e social. Quero dizer, falta de liberdade, falta de comida e falta de condições de vida digna.

5. F&C  Iulia, você é casada e tem três filhos, uma família linda. O que a família significa para você?

Minha família significa tudo para mim, é a maior bênção que recebi na minha vida. É o lugar onde posso encontrar todas as minhas motivações, meus momentos de alegria e todas as minhas razões para viver. Deus me abençoou com um adorável marido e 3 filhos, o que me deu muitos motivos para ser feliz e ser grata pelo presente da vida.

6. F&C  Qual é o seu trabalho profissional hoje?

Estou trabalhando na indústria automotiva como  auditora interna e estou envolvida na implementação de padrões de qualidade relevantes para a empresa.

7. F&C O que Deus representa em sua vida?

Para mim Deus é esperança, amor, poder, perdão, energia, fé, alegria, confiança ... Ele é tudo em UM.

8. F&C Você acredita na felicidade?

Penso que se eu for saudável, tiver paz no meu coração, um pensamento positivo, casa, família, trabalho, fé, alegria e amor para compartilhar com os outros, acho que estou muito perto da felicidade. Vivo com esse sentimento dia a dia ... Sou abençoada e feliz!

9. F&C Por favor, deixe uma mensagem para seus irmãos brasileiros em Cristo.

Para os meus irmãos brasileiros em Cristo, desejo que eles recebam as bênçãos de Deus, a paz e sejam amados.

10. F&C Obrigado por conceder esta entrevista.

Deus te abençoe meu amigo.