POR QUE MEU FILHO TEM DIFICULDADE EM MATEMÁTICA ?

“Eu odeio matemática”! “Eu não gosto do professor de matemática”! “Eu não consigo entender”! Professor meu filho até se sai bem em outras matérias, mas em matemática é péssimo... Eu ouvi muito essas murmurações. Depois de mais de 20 anos lecionando perdi a conta de quantas vezes ouvi reclamações desse gênero. Então, mesmo não sendo professor de matemática, resolvi estudar a fundo esse problema para ajudar alunos e pais que sofrem vendo seus filhos pegando prova final e muitas vezes reprovando.

Resultado de imagem para ESTUDANDO MATEMATICA

 

Primeiramente é preciso entender que seu filho ou filha é inteligente e pode vencer suas dificuldades. Acredite seu filho não é burro por causa da matemática, nunca diga isso a ele. Expulse da sua fala diária qualquer maldição contra seu filho. Vejo muitos pais fazerem declarações terríveis aos seus filhos: meu filho não aprende, é preguiçoso, não quer saber de estudar, vai se dar mal na vida desse jeito…Diga assim: meu filho está com dificuldades em matemática no momento, mas ele é uma benção de Deus, vai superar isso.  Meu filho é inteligente, capaz, será um vencedor na vida.

Após proclamar bênçãos sobre seu filho o próximo passo é: descobrir qual é a raiz dessa dificuldade. Isso é muito importante, antes de tentar encontrar um método de estudo para ele descubra quando e como tudo isso começou. Há vários problemas que podem ocorrer e que torna um aluno desgostoso com a matemática, entre eles o trauma psicológico. Deixa-me explicar melhor: Certa vez um menino tirava excelentes notas em matemática no primário, na época da 1ª a 4ª  série, tinha somente dois professores, um de educação física e a professora em sala de aula que lecionava todas as outras matérias. Nessa etapa da vida escolar a matemática girava em torno das quatro operações e a tabuada. Durante os quatro anos de primário esse menino só tirava notas 9,0 e 10,0 e passou muito bem em cada série. Após o término da 4ª

 Série ingressou na 5ª e foi ai que o drama começou: vários professores um para cada matéria, professores com didáticas diferentes, Isso o deixou assustado e para piorar a professora de matemática era brava, não tinha a mesma paciência das tias do primário. Mas no fundo não era  culpa da professora, pois ela apenas não podia ter a mesma dedicação que as professoras do primário, pois lecionava em várias turmas e ficava pouco tempo com cada aluno, diferentemente da professora  que podia ficar a semana toda com ele.  Outro problema é que na 5ª série a matemática começa misturar letras com números, são as expressões algébricas e demais cálculos. Ficou tudo muito confuso na cabecinha do menino e ele não tinha coragem de pedir explicações mais detalhadas. Surgiu então um trauma, o menino começou a odiar a matemática e a ver com maus olhos os professores dessa matéria. Ficou bloqueado e perdeu a sequência de raciocínio.

            Converse com seu filho, isso é muito importante, pergunte se ele passou ou está passando por essa dificuldade, diga que você estará sempre junto, apoiando e para não ter medo da matemática e nem do professor. É necessário esse estudo para que melhore sua capacidade de raciocínio. Pode ser que precise de uma ajuda do profissional da psicologia. Não hesite, busque uma ajuda profissional se for preciso. A Ciência está aí para nos ajudar.

Resultado de imagem para CONVERSE COM SEU FILHO

 Papai e mamãe se esse não é o problema, se não sofreu trauma algum, então verifique se não tem DISCALCULIA. Mas o que é isso? Discalculia é um problema causado por má formação neurológica que se manifesta como uma dificuldade no aprendizado dos números. Essa dificuldade de aprendizagem não é causada por deficiência mental, má escolarização, déficits visuais ou auditivos e não tem nenhuma ligação com a falta de inteligência. Crianças portadoras de discalculia são incapazes de identificar sinais matemáticos, montar operações, classificar números, entender princípios de medida, seguir sequências, compreender conceitos matemáticos, relacionar o valor de moedas entre outros. Se você detectou esse problema procure imediatamente o Psicopedagogo, pois é o profissional indicado no tratamento da discalculia, que é feito em parceria com a escola onde seu filho estuda.

            Não é Discalculia? Faça então uma análise comportamental. O que isso quer dizer? Quer dizer que seu filho é muito inteligente como qualquer outro ser humano, não tem trauma, não tem problemas cognitivos, simplesmente desenvolveu hábitos ruins de estudo, não tem paciência para ficar uma hora por dia fazendo os exercícios, acostumou seu corpo e sua mente de forma errada, como não faz tarefas, exercícios, consequentemente suas notas em matemática são péssimas. Ele se insere no mesmo caso de quem precisa emagrecer, mas não faz dieta e nem exercícios físicos, ou de quem quer parar de fumar, mas não larga o cigarro.  Em outras palavras, seu filho precisa urgentemente mudar seus hábitos de estudo. Tenho muitos alunos que se inserem nesse caso, são jovens legais, alegres, bem educados, mas que durante muito tempo perderam o hábito de estudar e no caso da matemática é extremamente necessário fazer os exercícios em casa, refazer, rever, analisar e assim por diante. Para isso é preciso tempo e determinação. Com as redes sociais e as mídias essa determinação ficou ainda mais difícil de ocorrer. Nesse caso é preciso ter pulso firme e com diálogo, amor e paciência exigir que seu filho redimensione seus hábitos de estudo. Ele tem que entender que o sofrimento de não passar de ano, de não fazer a faculdade almejada, de não ser feliz profissionalmente é muito, mas muito pior do que estudar matemática uma hora por dia.

            Há também um problema muito comum em jovens que não se saem bem na matemática e em outras matérias: pode ser que seu filho perdeu a motivação, o prazer de estudar, não vê sentido na matemática e na maioria das matérias. Muitos jovens e crianças estão nessa situação. Pode estar com início de depressão.   Há muitas causas que deprimem nossos jovens: a não aceitação do corpo, muitos se acham feios, feias, outros se tornam extremamente ansiosos com o futuro, as drogas e assim por diante. Neste caso é necessário buscar um psiquiatra e um psicólogo. Mais uma vez ressalto, esses profissionais são membros da comunidade científica e a ciência médica é extremamente necessária a todos nós humanos. Qualquer pessoa na face da Terra pode ter depressão e a medicina é imprescindível para a cura.

            Seu filho não se encaixa nas situações elencadas anteriormente? Então procure um método diferente para o estudo da matemática, um professor particular ou aulas na internet. No Youtube (Seu filho conhece muito bem) há inúmeras aulas gratuitas de matemática que apresentam métodos diferentes, mais atraentes. Outra sugestão importante é  estudar com um amigo que tem facilidade com a matéria e assim fazer estudos em grupo na sua casa ou na casa de algum colega. Ele precisa tentar fazer exercício por exercício, dispensar pelo menos uma hora de estudo diário. Mesmo que no começo seja entediante, não pode parar, precisa entender que o estudo da matemática requer atenção, continuidade, começo meio e fim. Insista se preciso, fique junto com ele para fazer os exercícios. Com o passar do tempo ele vai criar gosto pela matemática e descobrir que essa matéria não é um “bicho de sete cabeças” o lema é: persistir para vencer!

Por fim há uma dica de ouro, eu considero assim. Abençoe seu filho, reze todos os dias por ele para que vença a dificuldade em matemática e qualquer outra dificuldade da vida. Dialogue muito, elogie sempre, dê limites sempre que for necessário Diga que o ama. Fique sempre atento. Seu filho, sua filha, é e sempre será uma benção de Deus na sua vida.

Resultado de imagem para ADOLESCENTE FELIZ