PRIVACIDADE “PÚBLICA” E AS REDES SOCIAIS

 

João Vitor Macedo

 

É fato que as redes sociais e a internet revolucionaram nossos meios de lidar com todas  as situações do cotidiano, muitos até mesmo fizeram disso o seu negócio, vendas de todos os tipos, processos, contratos, tudo está lá ao nosso dispor. No entanto há um outro fato que vem preocupando: com a informatização das redes e a introdução da tecnologia e em especial do celular na vida das pessoas, um risco muito grande de divulgação de informações pessoais está ocorrendo diariamente. As redes sociais são hoje nada mais do que um imenso banco de dados mundial, onde podemos encontrar praticamente tudo sobre alguém, endereço, onde mora, qual idade, números de telefone, etc. Isso ocorre devido a uma grande estratégia formada por empresas que vendem essas redes para aumentar o número de consumidores atraindo-os com coisas que são de seu interesse, por exemplo, se você entra em um site de venda de automóveis, e demonstrar interesse, certamente após entrar em alguma rede social sua lá estará um anúncio de algo relacionado ou até mesmo do próprio site, isso é um algoritmo desenvolvido para combinar e analisar dados de cada usuário e assim usar isso a favor dos desenvolvedores desses aplicativos. Não podemos esquecer que quem permite que isso aconteça somos nós, que além de usar dessas ferramentas para facilitar nossas vidas, criamos um vício por essas redes, muitas vezes aceitamos políticas de privacidade e termos dos quais nem lemos, apenas aceitamos. Isso virou até "reality show" e não é de agora, muitas emissoras de TV realizam esses programas cujo único intuito é juntar muitas pessoas em um só lugar deixando elas à flor de sua privacidade. Isso gera alguns milhões de reais a quem der mais audiência e ficar mais tempo nesse lugar, porque isso faz parte de uma cultura do ser humano de ser atraído por tantas coisas que não acrescentam em nada em sua vida. Em geral devemos agora atualizar nosso modo de usufruir desses recursos para desintegra-los do nosso modo de vida, porque se assim continuarmos, chegará um dia em que seremos 100% dependentes deles, e isso não pode acontecer, isso está causando uma frustração naqueles que vivem em busca de "likes". Proteja os seus dados pessoais, o próximo passo são compras em seu nome.