COMO EU EXPLIQUEI AO MEU FILHO SOBRE PAPAI NOEL E NATAL

Antônio Marcos da Cunha

 

 

Meu filho tem quatro anos de idade e é muito curioso e saudável, graças a Deus. Como toda criança gosta muito de historinhas, contos, aventuras e emoções. Certo dia, numa conversa muito agradável, recheada de ludicidade, aproveitei para falar sobre o Papai Noel, pois na escolinha estava fazendo desenhos natalinos com a professora.  Aproveitei o momento e disse: - Meu filho Natal é a festa de Jesus. Ele é nosso Deus e junto com seu Pai e o Espírito Santo nos criou e nos dá amor e alegria. É Ele quem dá sabedoria e força para o papai e a mamãe trabalharem para comprarmos um presente bem legal para você no Natal, para comemorarmos a festa Dele, que é o Natal.  Foi mais ou menos isso que falei, mas como não queria quebrar os sonhos e fantasias relativas da sua tenra idade, também comentei sobre o Bom Velhinho: - Meu filho o Papai Noel é quem vai entregar o presente que o papai e a mamãe compraram para você; ele trabalha para Jesus, nosso Deus.

Ele entendeu perfeitamente minha explicação e percebi que isso reforçou ainda mais o amor por Jesus e pela família. Ele admira o Papai Noel, mas o seu amor pertence a Jesus e aos papais que trabalham, rezam, sofrem muitas vezes, para dar o melhor para ele. Ele entendeu o sentido do Natal que é o amor de Deus pela humanidade, que se reflete na família. Muitas crianças estão amando profundamente o Papai Noel, tornando-o um ídolo, aquele que traz presentes. Os pais que investem suas vidas e trabalham arduamente para dar o melhor para seus filhos são colocados de lado e o Papai Noel se torna o grande herói. As crianças precisam entender que os verdadeiros heróis são seus pais.

Há muito tempo tenho percebido que Jesus foi banido da sua própria festa e o Papai Noel virou o centro das atenções. Isso ocorre majoritariamente nos programas infantis, nos comerciais e filmes. Raras vezes aparece um presépio, Maria, José e Jesus. Só aparece o Papai Noel e a árvore. Não se canta mais o Noite Feliz, somente músicas que falam em espírito natalino, sem contar que a festa da vinda de Jesus se tornou para muitos apenas comércio e diversão. O Natal é uma festa religiosa, na qual o centro é Jesus. Se Jesus não é o centro tudo mais perde seu sentido, não é Natal!

Vou sempre enfatizar isso com meu filho e com todos que eu conheço, pois fazer festa, rever a família, enfeitar o pinheirinho é saudável, faz bem para nossa vida social e familiar, mas desde que o centro seja nosso Senhor Jesus Cristo, que veio ao mundo para nos salvar.

 

Feliz Natal!